ARTIGO - Motivar colaboradores não significa fazê-los felizes.

Entenda porque felicidade e motivação são conceitos diferentes e como isso influi nos seus resultados.

 

Por Cy Wakeman*

 

Tradução do original "Motivating employees isn't about making them happy" , publicado em Quartz at Work  https://work.qz.com/1150009/how-to-motivate-employees/

 

Motivar é fazer pessoas encontrarem seu potencial

 

Como líder, você provavelmente foi informado que é responsável por motivar os funcionários. Ofereceram programas e ferramentas que supostamente criariam uma força de trabalho feliz e motivada e você participou de seminários que ensinavam estratégias para melhorar o moral.

Esses programas e ferramentas são bem intencionados, mas oferecem poucos resultados. Os líderes não podem motivar os outros, porque as pessoas fazem suas próprias escolhas sobre motivação, responsabilidade, compromisso e felicidade. Assim, para os líderes, é uma tarefa impossível criar esse sentimento em outra pessoa. A expectativa de que os líderes mantenham funcionários comprometidos e felizes os leva ao fracasso.

Em vez de tentar mudar as pessoas, os líderes devem pensar em dirigir sua energia para cria resultados positivos. Isso significa desenvolver equipes para entender que o valor do seu trabalho vem do uso de conhecimentos e habilidades para ter sucesso em situações difíceis, ao invés de esperar por circunstâncias perfeitas. Significa dirigir energia de "por que não podemos" em "como podemos".

 

Aqui estão três abordagens que podem ajudar a mudar a energia para resultados positivos:

 

Procure clareza

Comunique à exaustão o que você conhece e seja honesto sobre o que você não conhece. Ajude suas equipes a editar suas histórias (mudar suas perspectivas), sobre o que está e não está ocorrendo. Muito do que enfatizamos é parte da nossa história, não da realidade. Ajude seus funcionários a colocar sua realidade atual em perspectiva fazendo perguntas úteis para a auto-reflexão, como "O que sabemos com certeza? Qual é a melhor coisa que você pode fazer para ajudar?”. Grandes líderes ajudam suas equipes a remover estresse e sofrimento auto-impostos, ajudando-os a se concentrar no que sabemos hoje e como eles podem contribuir para a próxima ação correta.

Trabalhe com a vontade

Muitas vezes, em situações difíceis, os líderes começam a diminuir as expectativas e a aceitar menos de seus funcionários. Insista que se comprometam todos os dias. De acordo com uma pesquisa acadêmica que realizei, um líder frequentemente gasta mais de 80 horas por ano tentando conquistar um funcionário que está em estado de resistência crônica, com apenas 3% de chance de sucesso. Em vez disso, trabalhe com os que já estão a bordo e comece reafirmando o compromisso e a vontade do colaborador. Algumas ótimas questões para a auto-reflexão são: "Com o que você quer se comprometer? Como você pode contribuir para o nosso objetivo?”. Um líder pode despertar seus funcionários para ter sucesso, apesar das circunstâncias desafiadoras e incentivá-los a usar sua criatividade natural para alcançar seus objetivos.

Os tempos difíceis não são desmotivadores para funcionários preparados, dispostos e altamente comprometidos. Eles são muitas vezes uma oportunidade para que se tornem criativos e usem suas habilidades. E é aqui que você pode transformar talentos e produtividade - diferenciando recompensas. Trabalhadores comprometidos, resilientes e de alto desempenho querem recompensas diferenciadas, muitas vezes sob a forma de trabalho desafiador e intencional junto a outros colegas de alto nível com ideias afins. Deixe sua motivação ser construída ganhando resiliência na superação de dificuldades sob a direção de um grande líder que se preocupa com elas e reconhece suas grandes realizações.

Pense dentro da caixa

Muitos líderes acreditam que a motivação e o engajamento vêm da falta de estresse ou problemas no trabalho, quando de fato o engajamento e a felicidade vêm do nível de comprometimento em relação às circunstâncias. Encorajar os funcionários a "Pensar fora da caixa" pode realmente prejudicar os níveis de motivação, porque parece como excesso de otimismo e fora da realidade. Redirecione a energia dos funcionários trocando o "por que não podemos” por "como podemos" encorajando-os a “Pensar dentro da caixa". A "Caixa" é composta pelo objetivo desejado e as restrições envolvidas, como por exemplo congelar as contratações de novos funcionários ou o orçamento limitado. Ao “Pensar dentro da Caixa" você irá gerar soluções reais que respeitam as restrições muito reais dos desafios atuais.

Em vez de tentar assumir a tarefa impossível de motivar e inspirar os membros da sua equipe, a melhor maneira de trazer o melhor para a sua equipe é ajudá-los a desenvolver um relacionamento saudável com a realidade. Habilidades, ideias e competências tornam-se transferíveis, e os funcionários podem encontrar sucesso onde quer que estejam, o que fornece a base para o colaborador construir sobre sua própria fonte de motivação.

* Cy Wakeman é Pesquisadora (Drama Research) e Autora do Bestseller do New York Times “Sem Ego: como os líderes podem reduzir o custo do drama e ladainhas no local de trabalho e entregar grandes resultados”.

Foto: Ambreen Hasan on Unsplash

São Paulo | Brasil 

2018 SerTotal